Vantagens de ser Pai (Parte 1)

Sem grandes rodeios vou enumerar:

  1. Quando e onde estiveres com os teus filhos podes comportar-te como se fosses um deles – Aos olhos dos restantes adultos estás a ser um excelente Pai, quando na realidade estás só a ser pateta (é li-ber-ta-dor… quem não tiver fihos posso alugar um ou dois para experiênciar esta liberdade).
  2. Quando os estás a adormecer e te tocam no nariz podes fazer POMMMMMM… porque no final das contas quem vai acabar por os pôr a dormir é a Mãe….
  3. Basta dizeres sim ou não depois da Mãe dizer sim ou não… A sensação de seres um excelente educador deve ser o equivalente a fazer rodizio de holandesas…
  4. Quando doí… querem a Mãe… Quando não doí querem o Disney Junior… Perfect 🙂
  5. Bem treinados… cócó é com a Mãe…
  6. Quando és pai de gemeos podes sempre dar respostas parvas a perguntas parvas:
    1. São gemeos? – Não são de mães diferentes….
    2. São dois? – Não são 3 mas não havia carrinhos com mais lugares na loja… o outro vem já ai atrás….
    3. São dois meninos? – Não… vesti os dois de azul só para causar confusão.
    4. (A minha preferida) Nasceram ao mesmo tempo? – Não não… nasceram com um minuto ou dois de intervalo…
    5. São verdadeiros? Não estes são falsos… os verdadeiros deixei-os no carro porque são muito irrequietos.

Fim da primeira parte… Amanhã há mais!

O Pai

Advertisements

Regresso às costuras

Já que comprei uma máquina de costura e fiz um curso (básico) online – sewing 101 – há que rentabilizar o investimento… por isso voltei à costura. 

A ideia agora é fazer peças de roupa que lhes façam falta. Dentro do que faz falta optei por começar pelo mais fácil – chapéus! 

Tirei o molde de um livro que me emprestaram. Já tinha folheado o livro imensas vezes e pareceu-me fácil fazer qualquer um dos chapéus. 

Comprei tecidos, entretela e imprimi os moldes. Cortei as peças – esta é a parte que menos gosto… levo muito tempo e ponho imensos alfinetes para ter a certeza que fica tudo direitinho – e apliquei a entretela ao tecido (termoaderente e de tecido).

Depois foi só coser… foi num instante!!! 

Comecei por fazer um chapéu para ela, reversível, depois chapéus iguais para os três (tecidos iguais, mas cores diferentes para ela). O tecido de fora destes chapéus iguais é grosso e mais difícil de trabalhar. Mas apesar de não assentarem tão bem, eles gostaram!!

E assim, em menos de nada passaram de nenhum chapéu para dois para ela e um para cada um dos gémeos. 

Como a experiência dos chapéus está a correr tão bem, vou fazer mais um ou outro (outros modelos do livro) e depois quero tentar fazer peças de roupa para eles… calças, saias, blusas, camisas… vamos ver como corre.